Elegância e controle social

  
Lá estava eu mais uma vez: linda e glamurosa, desfilando meu corpo sarado da cor do pecado, cheia de suíngue pelos trilhos de trem do país das vaquinhas malhadas (não me refiro à Graciane Barbosa, mas sim aos animaizinhos mesmo). 
Adentrei apoteótica pela porta do trem em Basel rumo a Berna (a cidade que, assim como a Luciana Gimenez, diz que é a mais importante, mas não é capital coisa nenhuma, é só a sede do governo). 

Sentei-me elegantemente em um assento perto da janela – porque o bom mesmo é por a cara no sol, mostrar a ‘feminilidade’.

  Como sou um exemplo a ser seguido em matéria de organização e pontualidade, fui a primeira a entrar no vagão e logo fiz a Gloria Kalil: arrumei meus pertence com muita classe, seguindo à risca as regras de etiqueta e bom comportamento.

Bolsa: ok; óculos escuros: ok; telefone: ok; fone de ouvido: ok. Agora é só colocar uma musiquinha animada e me controlar pra não sair performando e batendo cabelo como uma linda travesti em pleno Ru Paul’s Drag Race: ok.

Ao som de Lady Gaga, Liza Minelli e outras divas anjas caídas, me perdi internamente em performances memoráveis dentro da minha fértil mente cheia de glitter enquanto olhava pela janela: passa vaca, passa verde, passa casinha, passa gente, passa ovelha, passa colheita, passa mais vaca…

Do nada, sinto uma cutucada no ombro. Forte. Viril. Quase mal-educada.

Mas o que é isso minha gente??? Quem cutuca pessoas no trem na Suíça? (pensei eu irritada porque minha performance estava em um momento crucial em que eu descia do teto pindurada por um cabo com um vestido de ganso, que nem o da Bjork no Oscar de 2000.)

Virei-me abruptamente, tirei os óculos lentamente à lá Audrey Hepburn e já me preparava pra dar um olhar mortal de “Aqui é perifa, meu filho, tá kerênukê?” quando notei O FISCAL!

Olhar mortal quem tinha era ele! Seus olhos azuis me cortavam como se dizendo “Tá fazendo a egípcia, kirida? Entrou no trem, tem que pagar! Passa os bilhete tudo aí, meu amô!”

Além dele, notei meus coleguinhas anônimos sentados à minha volta segurando elegantemente as gargalhadas que eles certamente estavam dando por dentro daquelas roupinhas bege e sem graça. 

Por uma breve fração de segundo, meu mundo veio abaixo. Eu, que me esforço loucamente pra fazer sempre a Gloria Kalil e me comportar adequadamente de acordo com as inúmeras regras de boa conduta suíça estava sendo repreendida em público.

🎶 O controle social me pegou, tentei escapar não consegui, nas grades desse bafão, sem querer eu me prendi. 🎶

Olhei pra ele com puppy eyes, incorporei o gato de botas do Shrek, e pedi mil desculpas por ter deixado ele ali plantado feito trabalhador na fila do INSS. Mostrei meu ticket e ele se foi.

Senti que não ia rolar dedo na cara da parte dele – ele só queria fazer seu trabalho. Porque o controle social também vale pra ele. Vale pras pessoa tudo. 
Aqui, arquiteta ou não, a lei é a mesma pra todo mundo. (Lembra da arquiteta louca de pedra que ficou atormentada porque foi parada na blitz e quis dar carteirada???) E é exatamente por isso que ninguém faz a Egípcia: lei é lei, combinado é combinado, malandro é malandro, mané é mané. (Pode crer que é)

O bafão podia ter sido Evitado (adoro essa palavra, me lembra a Evita: gata, poderosa e do ghetto) caso eu tivesse ligada no que acontecia ao meu entorno ao invés de viajar na maionese performática do meu cérebro. 

Lição aprendida. 

E esse é o mais importante nesse pedaço conservador, inflexível porém justo do mundo: passou cheque, gata? Não tem tempo ruim, todo mundo erra. Mas vista a sandália da humildade e se retrate, senão o tempo fecha.

A xenofobia velada de cada dia

IMG_3885-0.JPG

Hoje tive uma experiência… como dizer… curiosa aqui na Suíça.

Houve hoje um ‘Dia das portas abertas’ na Faculdade de Pedagogia, e eu fui conferir os requisitos pra eu estudar nessa linda terra das vaquinhas que cantam Yodel.

Ano passado, já tinha pego informações por email, mas achei interessante ir lá conhecer o campus e tals.

O campus fica no cantão de Aarau, sobre o qual eu ouvi umas histórias cabreras de xenofobia. Mas minha mãe me ensinou que todo ser humano é bom até que se prove o contrário. Então fui de coração aberto.

Chegando lá, perguntei os pré-requisitos e a moça me informou com uma cara de poucos amigos (antes de me perguntar sobre minha formação acadêmica) que eu precisaria de um certificado nível C2 para cursar lá.

Eu disse a ela que haviam me dito que era C1 e que a própria Universidade de Basel (muito mais prestigiada) não tinha um requerimento tão alto.

Ela simplesmente me disse: mudaram as regras. C2 é o mínimo.

Daí olhei bem em volta.

Não havia um só aluno estrangeiro por ali. (40% da população da região é estrangeira)
Não havia ali nenhum aluno filho de estrangeiro. (Muitos desses 40% tem filhos em território suíço, mas não são considerados cidadãos suíços)
Não havia ninguém ali que não fosse Suíço. E Branco. Muito branco. Transparente.

Quero muito achar que essa decisão de aumentar os requisitos para estrangeiros se matricularem não é uma questão xenofóbica velada.
Quero demais.
Mais tá difícil…

Crime zero e a esperança de escrever em folhas bonitas

No existe

Ah, a Suíça!

O país em que o crime é zero e nada acontece. Nunca. Jamais. 

Certo? Errado. 

Foi abusando da boa vontade dos seres humanos que moram nessa terra verdejante e cheia de vaquinhas que perdi todos os meus livros de alemão. 

Visualize:

Garota sai de casa com livros. 

Garota vai ao ponto de tram (bonde) com livros.

Garota entra no tram.

Garota percebe que está sem os livros.

Garota salta na próxima estação e volta ao ponto.

Livros não estão mais lá.

Garota fica triste, mas tranquila.

Garota tem certeza de que alguém achou e levou para os achados e perdidos da comunidade.

Garota espera até o fim do dia para ligar para os achados e perdidos (pra dar tempo de quem achou levar até lá).

Garota tenta no dia seguinte (vai ver quem achou é um procrastinador).

Ainda nada.

Garota liga DE NOVO na outra manhã.

Nada de novo.

Garota compra livros novos.

O que não me passa pela cabeça é porque alguém ia querer uns livros para aprender alemão, uma pasta verde velha e TODAS as minhas anotações de aula lindamente escritas no meu bloco do Pequeno Príncipe.

Talvez o ladrão fosse um nacionalista que rouba coisas de estrangeiros para que queiram ir embora do país.

Não! Talvez seja um colecionador de livros didáticos e pastas abarrotadas.

Há! Um hater do Pequeno Príncipe!

Já sei! Um professor doido com fetiche de ler letras redondinhas e anotações colour-coded.

Não importa. O que ficou disso tudo é que eu fiquei sem nada pra estudar.

E sem minhas preciosas anotações.

E sem o Pequeno Príncipe.

Sendo assim, saí pra comprar o material didático de novo e percebi algo que me deixou BEGE: não exitem blocos de papel para fichário coloridos aqui em Basel! Nem pras crianças!

Fiquei BEGE, literalmente! Nem uma corzinha, nem uma listrinha, nem um coraçãozinho, nem uma Hello Kittyzinha, nem um Ursinho Puffzinho… nem mesmo uma VAQUINHA! Nada!

As pessoas aqui são tão bombardeadas com a ideia de que não é educado ficar chamando atenção que – além de falarem baixo, usarem roupas de tons pastéis, usarem pouquíssima maquiagem, não ostentarem nada mesmo que sejam podres de ricas, etc… – usam TODAS o mesmo bloco SEM GRAÇA quadriculado e cinza pra fazerem suas anotações.

 Elco-Notizblock-Recycling_73311-27_308782_S308782E

Mais uma vez levei um tapa na cara da diferença cultural: o Brasil com quem tem o melhor, mais bonito, mais caro, mais colorido material escolar e a Suíça com seu papel timbrado sem graça que equaliza todos os alunos em sala de aula.

Pensando nisso, resolvi pesar prós e contras.

Visualize:

Bloco de fichário

Brasil

Suíça

Colorido

Monocromático

Desigualdade social e de gênero

Igualdade social e de gênero

Livre arbítrio de escolha

Imposição de escolha

Olhando pra esses resultados da minha queimação de neurônios, acabei pendendo para a nossa pátria amada idolatrada salve salve.

Mesmo com as diferenças sendo marcadas dentro de sala de aula, os alunos são livres pra se expressarem e manifestarem perante o coletivo suas ideias, seus valores e suas vontades ao invés de serem moldados à uma massa coletiva homogênea e insossa.

Talvez eu mude de opinião com o passar do tempo enquanto moro por aqui.

Mas por enquanto, vou importar meu bloco da Hello Kitty.

O Verão que aquece os corações

TDS00020010535042954

O Verão começa oficialmente dia 21 de junho, mas aqui na Basiléia o tempo quente já começou a dar as caras.

No sábado, dia 07 de junho, os termômetros já marcavam cerca de TRINTA E CINCO FREAKING GRAUS!!!!

E Verão é época de Sol, praia, mar, pegação, etc… certo? CERTO!

Adolescentes de toda a Suíça cabulam aulas (sim, isso também acontece aqui) pra passar o dia na beira dos rios e lagos e tirar o branco quase transparente que Deus lhes deu.

As ruas são tomadas por um mundaréu de gente que até essa estação estava escondida dentro de casa (ou hibernando, ou abrindo portas de armários pra ver se chega em Nárnia, sei lá).

Mas O MAIS IMPORTANTE é que Verão é época de…… MUSICA RUIM!

E a Suíça nao é exceção!

Aqui a mais nova princesinha do Pop é uma rapariga mais loira e fabricada que as perucas da Nicky Minaj: BEATRICE EGLI!!!!

beatrice-egli

Seu HIT bacanérrimo que virou febre por aqui é “Mein Herz”, uma bela canção melosa e dançante (como nao poderia deixar de ser!!!).

Olha o clipe dela aqui em baixo:

E como todos aqui no Brasileia A-DO-RA-MOS princesinhas loiras e fabricadas do Pop, resolvemos traduzir o maior dos seus sucessos para o português.

Um presente pra vocês, leitores lindos e queridos!!!

Com vocês, o segundo clipe do Brasileia, feito com muito amor, ternura e quentura de Verão!

Os Santos de gelo

ice-saints

Por Roxane Teixeira

 

Olha a primavera, como é linda! Tudo florido, o sol brilhando lá fora, o tempo gostoso.

E DAÍ, PÁ! 4°C na sua cara!

Se você passou os últimos dias chorando por causa do frio e da chuva (sem julgamentos. Eu passei), pode começar a se acalmar, que a coisa está no fim.

Abre a porta, Mariquinha, e deixa a história dos Santos de Gelo entrar.

Aqui nessas terras nórdicas (pode pôr a Alemanha, a Áustria, a Suécia, a Dinamarca e a Suíça no mesmo pacotinho), todo mundo sabe que a segunda semana de maio é problema. Praticamente todos os anos, a temperatura cai e a chuva chega. Às vezes acontece uma geadinha. Outras, neva. E essa sacanagem, digo, esse fenômeno, já é registrado há certo tempo…

Desde antes de Cristo, para ser mais específica. O calendário introduzido por Júlio César já contava com essa peripécia da natureza. As primeiras anotações sobre o assunto mostram que, frequentemente, os dias frios caiam em 11, 12 e 13 de maio – respectivamente, os dias dos santos Mamertus, Pancras e Servatius. Daí vem a ideia de chamar os três de Santos de Gelo.

Com a mudança para o calendário gregoriano, lá no século XIV, houve uma pequena variação na contagem, empurrando os gelados para a terceira semana de maio. O que não ficou tão errado, já que, obviamente, os dias frios não caem exatamente no mesmo dia todos os anos. Mas entre a segunda e a terceira semana de maio, pode contar com esse trio parada-dura.

Eu, particularmente, vou rezar pra outros santos.

Essa coisa de gelar o pé não é meu milagre favorito.

Da da muh!!!

014578193

Homens sarados. Loiros. Altos. De olhos azuis. Lutando. Na areia.

Todo ano há na Suíça um campeonato mutcho loco em que esses bofes acima mencionados se matam (quase) para ganhar… um boi.

Não, você não leu errado: um boi!!!

E o troço é sério!

O “Schwing” é considerado um esporte nacional e todo ano o pais para pra ver os bofe tudo rolando na areia.

E o ganhador é conhecido como Schwingkönig, ou o Rei do Schwing. E as mina pira no Schwingkönig!

3isbs_swiss-wre_10_1578803g

Existe ate uma música que é tipo o hino do Schwing, cantada pela Sandy da Suíça: a vocalista da banda Oesch’s die Dritten.

Segue o link pro video SEN SA CIO NAL dessa música:

Mas como ninguém aqui é fluente nessa maravilha que é o Swiizerdütsch (o famigerado suíço-alemão), decidimos traduzir essa DELICINHA pra vocês em primeira mão.

Com vocês, o primeiro clipe do Brasileia: Da da muh!!!!